Pergres fragte in Entretenimento e MúsicaRevistas · vor 4 Jahren

Mateus 13:36-43 - Nessa ilustração, ou "parábola", Jesus fala sobre a "FORNALHA de fogo". Isso seria uma PROVA do “inferno de fogo”?

Jesus falava que haveria uma SEPARAÇÃO de pessoas, na sua "volta".

As pessoas seriam como "o joio e o trigo".

O "trigo" representaria os cristãos verdadeiros, que seriam AJUNTADOS em seu celeiro;

Já o "joio" representaria os que NÃO aceitavam Cristo e seriam "queimados", ou DESTRUÍDOS, na "fornalha ardente, onde haveria tormentos e ranger de dentes".

Isso é prova do “inferno de fogo”?

Update:

Fiz a pergunta, porque um usuário disse que Mateus 13:42 mostrava que "sheol" ou "hades", que algumas versões traduzem como "inferno", NÃO são a "sepultura da humanidade".

Ele diz que os DESAPROVADOS seriam lançados na "fornalha de fogo, onde haveria TORMENTOS e ranger de dentes".

Assim, a "fornalha de fogo" seria SINÔNIMO de "inferno", visto que seria diferente da "sepultura", onde NÃO há "tormentos nem ranger de dentes".

Update 2:

Queria saber a opinião da maioria religiosa, MAS se passaram DOIS dias e ninguém respondeu a pergunta.

Por isso, coloquei a MINHA opinião.

3 Antworten

Bewertung
  • vor 4 Jahren

    A ira de Deus.

    (Geena)

    É sobre a segunda morte no lago de fogo.

    A destruição completa que impede a ressurreição.

    Mostra como Jesus separará os ímpios dos justos no juízo final ele escolherá os que renascerão iguais a Ele, como anjos.

    Não terá tormentos porque já estarão colhidos ou mortos

    Hades é sepultura.

  • vor 4 Jahren

    O que está escrito na citação é atribuído a Jesus, mas quem pode comprovar?

  • vor 4 Jahren

    As pessoas parecem fazer CONFUSÃO, quando a Bíblia fala em “TORMENTOS e ranger de dentes”.

    A maioria associa essas palavras com o “inferno de fogo”, que NÃO existe na Bíblia.

    Por exemplo, dizem que Mateus 13:42 “mostra que o hebraico “sheol” ou o “hades” grego (traduzidos como “inferno” em Português), NÃO são a “sepultura da humanidade”, pois se referem a um LOCAL onde haverá “tormentos e ranger de dentes” e, na sepultura, NÃO tem nada disso.

    Esse texto é parte de Mateus 13:24-30,36-43, onde Jesus faz uma “parábola”, ou uma ILUSTRAÇÃO, de como seria o “FIM do mundo”.

    Ele diz que as pessoas seriam SEPARADAS, do mesmo jeito que se separa “o joio do trigo”.

    O “trigo” representaria os APROVADOS e o “joio” representaria os DESAPROVADOS no julgamento de Deus.

    O “trigo”, ou seus verdadeiros seguidores, seriam AJUNTADOS em seu Celeiro;

    O “joio”, ou os imprestáveis, que NÃO o queriam, seriam “lançados na FORNALHA de fogo" (ou na fornalha ardente), onde haveria “tormentos e ranger de dentes”, para serem eliminados.

    No entanto, a maioria ACHA que os imprestáveis seriam “lançados na fornalha ardente”, para serem QUEIMADOS (como o joio do campo era).

    Eles se esquecem que Jeremias 7:31 diz que “NUNCA passou pela cabeça de Deus, QUEIMAR alguém no fogo”.

    Não percebem, também, que, quando se QUEIMA o joio, essa erva ruim, que só prejudica uma plantação de trigo, NÃO fica sofrendo.

    Simplesmente o joio é ELIMINADO, quando é queimado.

    Até por que, na agricultura, “queimam-se as ervas daninhas para destruí-las” e NÃO para que tenham "sofrimentos", ou para que sofram “tormentos”, como a maioria pensa.

    A "queima" do joio NÃO lhe trará nenhum sofrimento, MAS causará a sua DESTRUIÇÃO.

    Assim, quando se fala em “TORMENTOS” ou em “fogos”, na Bíblia, nem sempre é literal.

    Um “tormento” pode significar DOR e/ou sofrimento, como doenças mesmo (Mateus 8:6 – Marcos 4:24), MAS pode significar, também, “restrição ao acesso”.

    Por exemplo, nos dias de Jesus, os CARCEREIROS eram chamados de “atormentadores”, pois eram os que RESTRINGIAM (ou impediam) o acesso à vida normal dos PRESOS, ou os que impediam a circulação deles.

    Assim, os presos podiam ser e eram ATORMENTADOS, pois ficavam sem acesso à uma vida normal, mas NÃO ficavam em sofrimentos “dia e noite”.

    Simplesmente, ficavam presos (ou “ficavam em tormentos”).

    Até os BARCOS podiam ficar em “tormentos”, quando NÃO conseguiam prosseguir, diante de um mar revolto, que RESTRINGIA (ou que impedia) a sua circulação normal.

    Em Mateus 14:24, foi usada a palavra traduzida como ‘tormento”, quando diz que “o barco sofria vento CONTRÁRIO”, ou “era atormentado pelo vento”, ou sofria RESTRIÇÃO para prosseguir.

    Quanto ao “RANGER de dentes”, é uma expressão que indica a FÚRIA, ou a raiva, de um executor CONTRA as suas vítimas, o que as deixaria angustiadas e desesperadas.

    Por exemplo, Jó 16:9 diz que “Deus rangeu os dentes CONTRA ele” e Atos 7:54 diz que os judeus, quando apedrejaram Estevão, “RANGERAM os dentes contra ele".

    Assim, parece que “FORNALHA de fogo”, na qual seriam lançados os iníquos (ou o joio), tem o mesmo significado do “LAGO de fogo”, citado em Apocalipse 20:15.

    Na realidade, esses “fogos” NÃO queimam ninguém.

    Apenas são SÍMBOLOS da “segunda morte” (Apocalipse 21:8), ou de uma DESTRUIÇÃO definitiva, pois os que forem jogados lá (na Fornalha ou no Lago de fogo), NUNCA mais serão ressuscitados.

    Serão DESTRUÍDOS definitivamente (Provérbios 2:21,22), mas NÃO ficarão em “tormentos ou em sofrimentos eternos”.

    Simplesmente, NÃO existirão mais.

    Que o “lago de fogo” NÃO queima ninguém, pode ser visto em Apocalipse 20:14, onde fala que a “morte e a sepultura (ou o “hades”) são lançadas nele”. Porém tais coisas NÃO são materiais, ou seja, NÃO podem ser QUEIMADAS.

    Elas não foram jogadas lá para queimarem.

    Foram jogadas lá para serem DESTRUÍDAS para sempre (Apocalipse 21:1-4).

    A Bíblia fala na "primeira e na SEGUNDA morte".

    A "primeira" é a que foi transmitida por Adão aos seus filhos (Atos 17:26 – Salmos 51:5 - Gênesis 2:17).

    Em Adão, TODOS morreriam (1 Coríntios 15:22), mas, graças ao sacrifício de Jesus, TODOS poderão ganhar a vida novamente (Romanos 5:12-19), pois mesmo que tivessem morrido, até a "volta dele", poderiam ser ressuscitados (João 5:28,29).

    Já na "segunda morte", NÃO existe mais ressurreição. É uma destruição definitiva.

    Quem sofre a “primeira morte” está no “sheol” hebraico, que significa a SEPULTURA da humanidade, conforme Eclesiastes 9:10.

    No entanto, algumas versões traduziram “sheol” por “inferno”. Foi isso que gerou essa CONFUSÃO danada, sobre o “inferno de fogo”.

    Mas DEPOIS que Cristo voltar (João 14:18,19 – Mateus 24:3-14,29-31 – Marcos 13:32), “o sheol (ou o “hades”, ou a sepultura) DARÁ os seus mortos”, como diz Apocalipse 20: 13 (algumas versões traduzem “hades” por “inferno”, nesse texto).

    Isso quer dizer que TODOS os que estiverem por lá, na sepultura, serão RESSUSCITADOS novamente, quer tenham sido religiosos ou não (Atos 24:15 – João 5:28,29).

    Portanto, o “joio da humanidade” (Mateus 13:42), ou os imprestáveis, ficarão “queimados” para com Deus e NÃO terão mais ressurreição, pois serão "lançados na FORNALHA de fogo" (ou na fornalha ardente).

    PORÉM essa “queima” é simbólica.

    Nós mesmos, quando falamos que “alguém foi “queimado” na sua carreira”, queremos falar que aquela pessoa “deixou de existir” para a empresa e/ou que NUNCA mais voltará a ser o que já havia sido.

    Do mesmo modo, as pessoas que forem lançadas "na Fornalha ardente ou no Lago de fogo", ficarão "queimadas" para com Deus, pois NUNCA mais terão a chance de viverem novamente.

    Contudo NINGUÉM, seja religioso ou não, ficará QUEIMANDO no fogo eternamente (Jeremias 7:31).

    Os desaprovados apenas deixarão de existir, pois sofrerão a “segunda morte”, para a qual NÃO há mais ressurreição (João 8:32 e 17:3,17 – Atos 17;11 e 20:20).

    Quelle(n): Bíblia e História
Haben Sie noch Fragen? Jetzt beantworten lassen.